quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

P.S. ADICIONAL SOBRE TORQUATO NETO...

O texto "Cave, Canem, Cuidado Com o Cão", de Waly Salomão, publicado originalmente no jornal Folha de São Paulo de 05.11.95, está exposto nas páginas 473 a 477 do livro de Kenard Kruel. Waly diz: "(...) Torquato me contou, num bar que existia na avenida Ataulfo de Paiva, (...) que queria fazer um filme chamado 'Os Últimos Dias de Paupéria'. Nada restou deste anteprojeto. Não foi encontrado nenhum resquício de roteiro, nenhum fiapo de argumento ou diálogo". Passa então a descrever o processo que resultou na organização/publicação do livro "Os Últimos Dias de Paupéria" (1973), sendo Paupéria "uma região de parcas pecúnias de Pindorama, isto é, a terra das juçaras, das íris, das pupunhas, dos licuris e dos babaçus. (...) onde tudo não é senão desordem, feiúra, pobreza, inquietação e antivolúpia: tristeresina total".
.
O autor comenta sobre a "Navilouca, título que pesquei da 'Stultifera Navis' que Michel Foucault escrutinou na 'História da Loucura na Época Clássica' (...)" e conta a "ginástica" que teve de fazer para que a revista-deliberadamente-de-um-número-só viesse finalmente a ser publicada (1975), para em seguida passar a refletir acerca do gesto final de Torquato.

Em certas "palavras de Cioran", a propósito de outro suicida, Waly encontra melhor adequação para o caso Torquato Neto: é que os textos mais densos do poeta só foram divulgados após sua morte, como "os apontamentos de sanatório que intitulei 'D'Engenho de Dentro', para deixar marcado o lugar de origem e o motor autodestrutivo".

Cioran = Emil Michel Cioran, filósofo romeno, 1911-1995, conhecido como "o rei dos pessimistas". São dele:

.FALAR DE DEUS É OLHÁ-LO DO ALTO.

.MAIS QUE UM ERRO DE FUNDO, A VIDA É UMA FALTA DE GOSTO QUE NEM A MORTE, NEM MESMO A POESIA, CONSEGUEM CORRIGIR.

.SÓ VIVO PORQUE ESTÁ EM MEU PODER MORRER QUANDO ME FOR CONVENIENTE.

Um comentário:

Cátia disse...

gostei

=)

http://discretear.blogspot.com/