segunda-feira, 27 de junho de 2022

INGENUOUS CARTOON


Will Leite. 

ELES DISSERAM E/OU CANTARAM

.
(27.06)


.MonaLisa Twins:
"You Are Going To Lose That Girl" ........... Aqui.
"Please Please Me" ..................................... Aqui.
................
.On The Ed Sullivan Show:
-Mason Williams: "A Major Thang" .......... Aqui
-Barbara McNair: "Just In Time" ............... Aqui.
-Robert Goulet: "On A Clear Day" ..............Aqui.


.TV Fórum:
Caso Klara Castanho: mídia ganha com
bolsonarismo e pratica crimes por views .. Aqui.

.Reinaldo Azevedo:
O É da Coisa ................................................ Aqui.

.Bemvindo Sequeira:
Trincheira Digital ....................................... Aqui.

.Boa Noite 247:
Bolsonaro teme a prisão e oferece
asilo à golpista boliviana ............................ Aqui.

.Galãs Feios:
Guga Chacra esculacha a Terceira Via ...... Aqui.

.Luis Nassif:
Congresso em cima de Milton
Ribeiro e eleições 2022 ................................ Aqui.

.O Essencial do DCM:
Kiko Nogueira e Pedro Zambarda
fazem o giro de notícias ............................... Aqui.

REVISITANDO A MPB: DONGA E 'PELO TELEFONE', O PRIMEIRO SAMBA


Brum. 

OPOSIÇÃO REÚNE ASSINATURAS SUFICIENTES PARA CONVOCAR CPI DO MEC NO SENADO

.
Requerimento deve ser protocolado nessa terça-feira


No 247:
A oposição conseguiu a assinaturas de 28 senadores, uma a mais do necessário para convocar a CPI do MEC. Ao menos mais dois nomes podem se juntar aos que querem apurar o tráfico de influência praticado no MEC sob a gestão do ex-ministro Milton Ribeiro. 

A Folha de S.Paulo apurou que os senadores da oposição querem ter força suficiente para pressionar o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), a não impedir a instalação da CPI.

Para muitos senadores, as evidências de que houve interferência de Jair Bolsonaro nas investigações sobre o tráfico de influência no MEC aumentam essa pressão sobre o presidente do Senado.

A possibilidade de instalação de uma CPI do MEC ganhou força após a prisão, na última quarta-feira (22), do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, suspeito de atos de corrupção e tráfico de influência na liberação de verbas da pasta.  

Pacheco vê com ressalvas a instalação de uma comissão sobre o tema. Ele afirmou considerar que a proximidade do período eleitoral "prejudica o escopo de uma CPI".  -  (Aqui).

................
A Política está em todas, eis a obviedade de que muitos fingem não se dar conta, sintomaticamente. A ala pró CPI, comandada por Randolfe Rodrigues, luta para assegurar a instalação da Comissão, cujo pré requisito se materializa em 27 assinaturas (tem28, poderá vir a ter 29); o Centrão Planaltino (com o perdão pelo pleonasmo), por sua vez, tudo fará para solapar as bases assinantes oposicionistas. 
No ar, o cheiro ameaçador da CPI da Covid.
Convindo lembrar que, de um dia para o outro, tudo pode não acontecer. Ou não?
(Este escriba brinca, mas o momento é de indignação).
Alea Jacta Est. 

ECOS DO ESCÂNDALO DO MEC


Duke. 
................
"CPI do MEC? Duvido."
"Por quê?"
"Haverá retirada de assinatura(s)."
"E se não houver?"
"Retirarei o que disse."
"(Mas restará o Fator Pacheco)...".

................

.Bom Dia 247 (27.06) - Attuch / Zé Reinaldo /
PML / Solnik / Joaquim de Carvalho /
Cruvinel / Florestan Fernandes Jr:
Sobre temas importantes .................................. Aqui.

DIPLOMACY


Luojie. (China).

'LAVA JATO É PAI E MÃE DESTA SITUAÇÃO POLÍTICA A QUE CHEGAMOS', DIZ GILMAR MENDES

.
Na avaliação do ministro do STF, a operação ‘era um projeto político de viés totalitário’


No 247:
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, atribui a crise da democracia brasileira aos excessos cometidos pela operação Lava Jato. Para o magistrado, havia um projeto de poder por trás da atuação do ex-juiz Sergio Moro e de procuradores, como Deltan Dallagnol.

“A Lava-Jato é pai e mãe desta situação política a que chegamos. Na medida em que você elimina as forças políticas tradicionais, se dá ensejo ao surgimento — a política, como tudo no mundo, detesta vácuo — de novas forças”, afirmou o ministro em entrevista ao Correio Braziliense publicada neste domingo 26. Para ele, a operação “praticamente destruiu o sistema político brasileiro, os quadros representativos foram atingidos”.

“O Brasil produziu uma situação muito estranha. Além de sede de poder, veja que todos hoje são candidatos. Moro é candidato, a mulher é candidata, Dallagnol é candidato”, acrescentou Mendes. - (Aqui).

................
A Lava Jato, ex queridinha de tantos mas ainda na doce memória de alguns, é feito fogo no monturo: está lá a montanha de lixo; de repente, começa a subir fumaça de determinado ponto: é ela, a Lava Jato, estrebuchando.

Convém lembrar, preliminarmente, que o decano (ora eventualmente interessado em meter o Brasil no alçapão do semi-presidencialismo, em sintonia com o presidente do orçamento secreto, queremos dizer, da Câmara dos Deputados, Arthur Lira) jamais perdoará o iluminado Moro a desfeita de utilizá-lo para cercear o ex-presidente Lula no episódio de sua anunciada nomeação para a Casa Civil do governo Dilma: a gravação - de trâmite The Flash - de contato telefônico Dilma-Lula, controversa na origem, foi ilegal em si mesma, visto que feita quando o prazo de autorização para gravações já havia expirado; não obstante, Lava Jato e mídia global direcionaram seus holofotes para o ministro relator Gilmar pleiteando imediato despacho cerceador de sua lavra, obtendo sucesso. Só depois é que o relator se deu conta de haver caído numa armadilha - e, com razão, deplorou.

Dito isso, atente-se para: 
(a) revelações de "The Intercept" sobre tramoias da força-tarefa; TCU cobrando líderes da força por diárias fraudulentas; 
(b) psicose em incriminar o ex-presidente a partir de delações de presos, nem que se impusesse o recurso a fórceps: "Ou dá ou desce!"; "Inventa aí qualquer coisa, caso contrário pegarás todas as penas máximas!"; 
(c) a Fundação Lava Jato, 'bancável' com dinheirama originária de departamento(s) de Estado dos EUA a partir de multa bilionária paga pela Petrobrás: a ideia era se comportar como verdadeiro 'think tank', patrocinando cursos, palestras, candidaturas políticas etc. Consta que Deltan Dallagnol chegou a manter tratativas com banco público para abrir contas, já de posse do "de acordo" judicial (juíza Hardt) quanto à 'legitimidade jurídica' da 'fundação'. 
Felizmente a Lava Jato deu com os burros n'água: o Supremo (ministro Alexandre de Moraes) cortou as asas da tal 'entidade' - que era, sim,  inspirada em propósitos totalitários.

ESCÂNDALO NA EDUCAÇÃO


Thiago. 

domingo, 26 de junho de 2022

ANÉSIA EM: DOLORES SEMPRE DIZ SIM


Will Leite. 

ELES DISSERAM E/OU CANTARAM

.
(26.06)


.Phil Collins:
"Another Day In Paradise" .................... Aqui.
................
.Carla Bruni:
"Quelqu'un m'a dit" ...............................  Aqui.
................
.Toto:
"I Won't Hold You Back" ........................ Aqui.
"Stop Loving You" .................................. Aqui


.Superlive de Domingo:
Bolsonaro enxota vice de SC; 
Dallagnol a um passo de
se tornar inelegível .................................. Aqui

.Nassif & Conde - Afinando
a Notícia:
Jantar da derrota .................................... Aqui.

.Boa Noite 247:
Corrupção no MEC: PF tentou
transferir delegado .................................. Aqui.

.TV Fórum:
Marcos Coimbra: "O fato é que
Bolsonaro morreu como candidato" ....... Aqui.

.Aquias Santarem:
PF faz novas revelações sobre pastores .. Aqui.

.Desmascarando:
Fracasso monumental de público 
bolsonarista em balneário Camboriú ..... Aqui.

.Live Cinegnose - Wilson Ferreira:
Live 360 #61* - (25.06.22) ....................... Aqui.

.................

* = Cinegnose 360 #61
Sem intervenções federais (a não ser da esposa do humilde blogueiro, quando ultrapassa 3 horas de duração), nesse domingo (26/06), a edição #61 da Live Cinegnose 360, às 18h, no YouTube. Na sessão agora híbrida (vinis/CDs) vamos conversar sobre o electroclash da banda “Ladytron”: a anomalia na globalização tecno. Depois, vamos discutir o último filme do mestre David Cronenberg “Crimes do Futuro” (o encontro de McLuhan com o horror corporal tecnológico) e o terror “Morte Instantânea” (a história oculta da fotografia no Ocidente). O economista Thorstein Veblen explica o papel das festas juninas no golpe híbrido brasileiro: coxinhas 2.0 e a gourmetização das quermesses. E a crítica midiática de uma semana de mais uma crise de blefes e dissimulações: como o projeto militar brasileiro da Guerra Híbrida (o regime de guerra permanente) explicam os últimos acontecimentos que deixaram a grande mídia aloprada! É tudo ao vivo! Nesse domingo! O melhor antídoto para a depressão pré-segunda. -  (Wilson Ferreira - Aqui).

GILBERTO GIL, OITENTA ANOS


"
A idade tem acomodações próprias no plano espiritual, emocional e psíquico. O tempo do homem velho é diferenciado, tudo tem um peso diferente. Não é como o da infância, da juventude ou da vida adulta. Como diz o Caetano: 'o homem velho é o rei dos animais'."

"A naturalidade de convívio, do estar junto em família, elimina a diferença da idade com filhos e netos. Meus filhos adultos são como irmãos. Já os netos vejo como novos filhos. Está tudo ali, no plano da acomodação natural. Você continua sendo um mentor, no sentido de fazer uma curadoria natural na vida deles. A educação não termina nunca, vai até o túmulo".

"Para frente, que atrás vem gente".

................
(Reflexões de Gilberto Gil, feitas em entrevista a O Globo. 
Todos estamos a louvar o mestre Gil, Gil louva mais ainda a lucidez e a sabedoria. 
Parabéns, mestre!).

DA (A)NORMALIDADE BRASILEIRA


Duke.
................

.Bom Dia 247 (26.06) - Attuch, Rodrigo
e Florestan comentam sobre a conjuntura ...... Aqui

(Com a participação da
destemida Hildegard Angel!).

................
.DCM ao Meio Dia - Com a participação
do cientista político Rudá Ricci ........................ Aqui.

ENQUANTO ISSO NOS EUA

                "Nós Decidimos Que é Mais Fácil Controlar os 
                 Corpos das Mulheres do Que Controlar as Armas!"

John Darkow. (EUA). 

39 REAIS POR MÊS...

.
O inominável tratamento conferido pelo governo brasileiro à pandemia de covid (incluindo as piadinhas e ironias) que traumatizou o país foi, como vimos dizendo há tempos, o seu Waterloo. Insanável, queremos dizer, historicamente insanável. A destruição do resto - com a abjeta fome à frente de todas as mazelas - está sendo a culminância de tudo. 
Ah, mas acontece que a guerra da Ucrânia, sabe? Não, não cola. As contas nacionais que se danassem, mas essa dantesca realidade não poderia prosperar.  
E, como se diz por aí, ponto final.
................

A seguir, manifestação de Fernando Brito, no Tijolaço, de que é titular:

39 Reais Por Mês. É só o Que Têm 10 Milhões de Brasileiros


Por Fernando Brito

A capa do jornal Extra é de ontem; os números escandalosos da Folha de S. Paulo de hoje, com dados do IBGE, o drama é de sempre e muito pior agora, com o empobrecimento galopando, visivelmente, nas calçadas de qualquer cidade.

A comparação é do jornal que, entretanto, não costuma ir além das estatísticas.

A renda média MENSAL de 10 milhões de brasileiros – estes 5% mais pobres da população – só dá (ou melhor, nem dá, pois faltariam 8 reais) para comprar dois pratos feitos na grande São Paulo. Isto é, para comer duas vezes por mês.

Ou faz como a D. Denise, aí na foto, e cata no lixo. Disputou, um dia destes, conta ela, um pacote de salsichas com um cachorro.

Mais “ricos” que eles, os que ficam entre os 5 e 10% mais pobres, não ficam muito melhor: tiram em média R$ 148. Aqui no Rio, nestas piores “quentinhas” vendidas nas ruas, talvez dê para oito ou nove delas, duas por semana. 

(...).

Prefiro me dedicar à única coisa que pode remediar e começar a mudar este quadro de horror: remover, pelo voto, o desgoverno que nos leva a isto.

Quem quiser discutir abobrinhas, procure os “unicórnios” eleitorais – expressão definitiva do jornalista Weiller Diniz, ontem, na TV GGN – ou de fantasias outras.

Quem tem fome tem pressa, dizia Herbert de Souza, o Betinho, e hoje temos mais fome e mais pressa que em qualquer época. - (Aqui).  

O CARTUM DA PIAUÍ


Caco Galhardo e
Renato Terra.
................
(Rev. Piauí - Jun/22).

sábado, 25 de junho de 2022

WILL LEITE E O CARTUM DA LAERTE


Will Leite. 

ELES DISSERAM E/OU CANTARAM

.
(25.06)


.Charles Aznavour:
"For Me Formidable" ...................................Aqui.
"She" ............................................................ Aqui.
"La Boheme" ................................................ Aqui.
................
.Toto:
"I'll Be Over You" ........................................ Aqui.
................
.Fabiano Cavalcante:
O cabelo do Roberto .....................................Aqui.
................
.Raul Seixas  (1979):
Entrevista à TV Cultura quando do
lançamento do álbum Mata Virgem .......... Aqui.


.Blog da Cidadania - E. Guimarães
 Surge prova fatal contra Bolsonaro .......... Aqui.

.Greg News:
Filhos ............................................................ Aqui.

.Galãs Feios:
Bolsonaro apela para Zé Trovão
e os piores vídeos da semana ....................... Aqui.

.Bemvindo Sequeira:
Dando Uma Perdida da Night ..................... Aqui.

.Aquias Santarem:
'Áudio' de Bolsonaro e pastor viraliza +
delegado da PF ironiza Bolsonaeo ............... Aqui.

.Boa Noite 247:
Em meio à corrupção no MEC, 
Bolsonaro faz nova ameaça de golpe ........... Aqui.

CARGA PESADA


Duke. 

FOGUEIRAS DE SÃO JOÃO: CHAMAS PARA LÁ DE ABUNDANTES


J Bosco. 
................

.Bom Dia 247 (25.06) - Rogério correia /
Dafne / Joaquim de Carvalho:
Comentando temas importantes ..................... Aqui.

CERTAS EXPRESSÕES

.
"Levar Tudo
Na Valsa"


Peter Kuper. (EUA).

DO VALE DO JAVARI AO CÁRCERE DA PF: AS ESTRATÉGIAS SEMIÓTICAS DE OCULTAMENTO E BLEFE DO PMIG

.
"...eis que a própria PF (para definitivamente limpar a sua imagem diante do evidente aparelhamento no caso Dom e Bruno) tira da manga a carta da 'Operação Acesso Pago', relativa ao tráfego de influências e corrupção com vistas na liberação de recursos públicos do MEC para pastores e igrejas neopentecostais."
................
Sobre fatos da semana que está acabando.
 

Por
Wilson Ferreira

Esses últimos quinze dias foram caóticos: os assassinatos de Dom e Bruno no Vale do Javari; o reajuste dos combustíveis e a renúncia do presidente da Petrobrás com a previsível reação “nervosa” dos “mercados”; prisão do ex-ministro do MEC Milton Ribeiro pela PF. Para, no dia seguinte, ser solto por um desembargador do cárcere da PF em São Paulo. Porém, esse aparente frenesi de notícias é apenas superfície. Há um modus operandi semiótico do Partido Militar Golpista (PMiG): o timing do encadeamento dos eventos, dissimulação (ocultamento das operações do PMiG) e simulação (blefes de não-notícias) com o objetivo de sequestrar a pauta da mídia (grande e independente) que sempre anda a reboque dessa central do PMiG, por ação e reação.

Já há algum tempo este Cinegnose vem insistindo na tese de que o golpe militar já ocorreu. Só que não foi televisionado, com toda aquela pompa de um drama histórico: tanques cercando o Congresso, soldados cruzando as ruas na carroçaria de blindados e uma junta militar ao vivo dando a sentença derradeira para a Nação.

Não. O que ocorreu foi um longo solapamento de uma ideia de República minimamente baseada em um consenso entre poderes, instituições de funcionamento do Estado, opinião pública etc. Desde 2014, acompanhamos de ocupação do comando, controle e inteligência do PMiG (Partido Militar Golpista), cuja parte do processo foi a colocação do capitão da reserva Bolsonaro na presidência em 2018. Um projeto do PMiG de constituição não de um governo, mas de um Regime que vê a si próprio não no campo da política, mas num estado de exceção e guerra permanentes.

Porém, ao contrário da ditadura militar clássica que vivia um estado de guerra permanente contra o inimigo interno (o terrorismo de esquerda) com todas as mazelas da censura, perseguição política, tortura etc., nesse novo regime híbrido a política é absorvida por um estado de guerra informacional criando um novo tipo de interação com a sociedade e Estado.

Primeiro, através da ocupação pura e simples da máquina administrativa do Estado por mais de seis mil militares, controlando orçamentos, lobby, controle da base parlamentar no Legislativo, ministérios autarquias etc. Mas não apenas isso: a possibilidade de grampear, espionar e criar dossiês sobre qualquer força de oposição.

Segundo: a linguagem da política é substituída pela linguagem da guerra através das armas da dissimulação e simulação (a essência dos manuais militares), a começar pelo principal dispositivo: a própria figura do presidente Bolsonaro, cujo função principal é embaralhar as informações (guerra criptografada) por meio de telecatchs semanais – e o mais recente, entre ele e a Polícia Federal por ter prendido o ex-ministro do MEC, Milton Ribeiro. 

E terceiro: essa guerra semiótica criptografada acaba criando o fenômeno análogo ao da refração da luz: assim como a luz, ao penetrar em meios refringentes ou translúcidos, tem sua velocidade diminuída criando o efeito ótico de dispersão, também é ocultado o centro de comando e inteligência do PMiG: opinião pública e agentes sociais passam a acreditar tanto no efeito ótico Bolsonaro de refração que passam a julgar que, por exemplo, as instituições estão funcionando e de que tudo está acontecendo no âmbito da política, pelo menos em seus aspectos formais: eleições, parlamento etc.   

É justamente sob esse jogo de dissimulações e simulações é que deve ser analisado os frenéticos acontecimentos desses últimos quinze dias: o assassinato do indigenista Bruno e do jornalista inglês Dom Phillips, o novo reajuste dos combustíveis e a nova crise envolvendo a presidência e Conselho da Petrobrás e a Operação “Acesso Pago” da Polícia Federal que prendeu o ex-ministro Milton Ribeiro. E posterior soltura da carceragem da PF de São Paulo com mandato de soltura emitido por um desembargador. E o delegado do caso protestando contra “interferência política” no caso. O que dá combustível para a criação outra CPI: a “CPI do MEC”.


Mais uma vez, o indefectível Randolfe Rodrigues...


Vídeos e fotos canastríssimos

A repercussão internacional do desaparecimento de Dom e Bruno no Vale do Jari expos perigosamente a primeira característica do modus operandi do novo regime instaurado pelo PMiG: o aparelhamento militar da máquina do Estado. A demora nas buscas do jornalista e do indigenista, as primeiras tímidas ações com equipes munidas de materiais escassos e a recusa em ter a colaboração do conhecimento de campo da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Unijava) foram sintomas.

Depois as afirmações do superintendente regional da PF/AM de que estavam investigando “quadrilhas internacionais no tráfico de drogas”, de quebra ocultando garimpagem e mineração nas terras indígenas e afirmando a agenda militar da “soberania da Amazônia”.

E mais! Uma até mesmo superficial análise semiótica de vídeos e imagens denota um quê de simulação para satisfazer o distinto público: a foto e vídeos do Amarildo sendo preso por orgulhosos policiais que posam para a câmera, diante da absoluta mistura de indiferença e calma, com olhar fixo para a câmera como se estivesse “dirigido”.

Ou ainda pior! O vídeo da reconstituição do crime com Amarildo e policiais federais numa lancha revelando o local no qual aconteceram os assassinatos é totalmente canastríssimo: (a) ninguém parece estar espontâneo, sempre preocupados com a “atuação” para as câmeras – um dos policiais até sorri diversas vezes de canto dos lábios cinicamente. Depois, os vídeos disponíveis tiveram as imagens dos rostos dos policiais pixeladas;

(b) Amarildo parece estar sempre dirigido pela narrativa ditada pelo policial ao seu lado dita. Na maior parte do tempo, Amarildo diz apenas “sim” ou “não”. Em outros momentos apenas repete o que o policial disse. 

A repercussão na imprensa internacional apontou o aparelhamento tanto da PF quanto da Funai – cujos (cargos) de comando e coordenação estão ocupados por militares e policiais.

No timing do aumento do espaço na mídia tupiniquim sobre a repercussão midiática internacional, entrou em cena o affair do aumento dos combustíveis. Há meses represados, apenas esperando o timing certo.

Então, acompanhamos o tradicional telecatch de Bolsonaro se dizendo “traído” por um presidente e mais da metade do Conselho da Petrobrás escolhido por ele. 

O caso foi didático ao revelar que o PMiG não está sozinho: faz um consórcio com a agenda neoliberal da grande mídia cujos proprietários são rentistas. 

Para o jornalismo corporativo, o rendimento político-semiótico foi perfeito: (a) o problema nunca foi a paridade de preços internacional, mas um mundo em crise que navega pelos caminhos misteriosos de Deus: guerra na Ucrânia, pandemia etc. (b) a Petrobrás sofre ingerências “políticas” de Bolsonaro. O problema não é a política de preços da estatal, mas um ano eleitoral que favorece o “populismo” – discurso sintonizado com a agenda neoliberal-positivista de depreciação da política e enaltecimento de uma elite técnica.

Grande mídia na PsyOp da simulação da independência da PF


A carta da manga

Com a queda do ibope do telecatch, eis que a própria PF (para definitivamente limpar a sua imagem diante do evidente aparelhamento no caso Dom e Bruno) tira da manga a carta da “Operação Acesso Pago”, relativa ao tráfego de influências e corrupção com vistas na liberação de recursos públicos do MEC para pastores e igrejas neopentecostais. 

Vale lembrar, que tudo começou com áudio vazado para o jornal Folha de São Paulo em março – modus operandi das estratégias de simulação e dissimulação do PMiG. E o timing perfeito da Operação Acesso Pago revelou o porquê do deliberado vazamento para “incriminar” Milton Ribeiro.

Temos os elementos de mais um perfeito telecatch: PF mostra-se como fazendo parte do Estado e não do governo Bolsonaro. De imediato, o chefe do Executivo foi enfático em entrevista à rádio Itatiaia: “Sinal de que estão agindo e que não interfiro na PF”.

Porém, um bom telecatch tem que ser ambíguo, para criar a espiral de interpretações, aumentar a temperatura do atrito e dar pernas mais longas a um não-acontecimento.

No cárcere da PF em São Paulo, Milton Ribeiro recebeu a notícia de que um desembargador do TRF decidiu pela cassação da sua prisão preventiva – não para menos que Ribeiro não embarcou para a PF de Brasília no dia anterior, conforme originalmente determinado.

PF reage indignada em nota dizendo que devido a “decisão superior” o “delegado deixou de ter autonomia investigativa e administrativa para conduzir inquérito Policial deste caso com independência e segurança institucional”.

De aparelhada, agora a PF posa de “independente” e vítima de “ingerências políticas”.

Telecatchs trabalham com esse duplo jogo de dissimulação (ocultamento) e simulação (blefe): primeiro, ocultar a central de comando, controle e inteligência do PMiG que opera por fora da Política. Principalmente através da ilusão de ótica da refração de Bolsonaro; e, segundo, os sucessivos blefes de não-notícias com o objetivo de sequestrar a pauta da mídia (grande e independente) que sempre anda a reboque dessa central do PMiG por ação e reação.  -  (Fonte: Cinegnose - Aqui).

 

 

Postagens Relacionadas

 

PsyOps do PMiG: do viagra ao súbito interesse cívico no primeiro voto do jovem

 

 

Agenda setting e a profecia autorrealizável ou... como fazer Paulo Guedes sumir

 

 

 

Lula deve fugir de dois ardis semióticos do xadrez eleitoral: comunicação indireta e dilema midiático

 

 

O golpe militar híbrido não foi televisionado

 


sexta-feira, 24 de junho de 2022

ANÉSIA E O FIM DO POÇO


Will Leite. 

ELES DISSERAM E/OU CANTARAM

.
(24.06)


.Frank Sinatra:
"Fly Me To The Moon" .......................... Aqui
.................
.Frank & Nancy Sinatra:
"Something Stupid" (1967) ................... Aqui.
................
.Frank Sinatra & Ella Fitzgerald:
"The Lady Is A Tramp" ......................... Aqui.
................
.Louis Armstrong:
"Hello Dolly" .......................................... Aqui.
"Blueberry Hill" ..................................... Aqui.


.Live da Tarde:
Liderança guarani kaiwoa, Valdelice
Veron fala sobre ataques a índios do MS  Aqui.

.Reinaldo Azevedo:
O É da Coisa .............................................. Aqui.

.Boa Noite 247:
Gravação indicaria que Bolsonaro
avisou Ribeiro sobre ação da PF .............. Aqui.

.Luis Nassif:
CPI do MEC; Lula no 1º turno ................. Aqui.

.TV Fórum - Miguel do Rosário:
Esmiuçando a pesquisa Datafolha ........... Aqui.

.Aquias Santarem:
Áudio implode Planalto e Jair se
apavora; PF revela telefones secretos
de Ribeiro e pastores ................................. Aqui.

.O Essencial:
Sextou com Bemvindo Sequeira ................ Aqui.

.Live do Conde:
Globo queima Bolsonaro ........................... Aqui.